Mitos e Verdades no consumo do Glúten e da Lactose. Você sabe se deve ou não ingerir?

glúten_lactose
Já faz um tempo que se comenta bastante sobre a eliminação de produtos com lactose e glúten na alimentação do dia-a-dia. Virou uma grande moda cortar do cardápio os pães, bolos, barras de cereais, leites, queijos, etc. Será que é o correto? Vamos entender um pouco mais sobre o assunto.

glúten
Glúten
É uma proteína presente na aveia, malte, cevada, centeio e no trigo e, por isso, pensando em alimentos processados, ele é encontrado facilmente nos bolos, tortas, muffins, etc. Quando a pessoa retira esses alimentos da sua alimentação, existe uma limitação do consumo de carboidratos e, assim, vai ocorrer uma perda de peso que a pessoa acredita ter ocorrido simplesmente pela retirada do glúten. A verdade é que ela passará a ter uma alimentação mais saudável e possivelmente fará escolhas mais acertadas
Seguir uma dieta extremamente restrita faz com que tenhamos menos opções de escolha e também leva as pessoas a ficarem reféns dos alimentos e até mesmo podem ser prejudicadas socialmente quando participam de eventos em casas de amigos ou mesmo em restaurantes. No meu ponto de vista, não vejo como algo que deva ser perpetuado a não ser que haja realmente uma intolerância ao glúten que é o que vemos nos portadores da Doença Celíaca. Nesses casos, existe uma desordem autoimune com inflamação crônica da mucosa do intestino delgado levando a diarreias, vômitos, emagrecimento, falta de apetite, dores, etc.
Portanto, a restrição ao glúten até pode ser feita por curtos períodos e, para os Celíacos, para a vida toda.

Intolerância-a-lactose

Lactose
É o açúcar presente no leite e há pessoas que são intolerantes e não conseguem fazer a digestão deste carboidrato. Muitas vezes isso ocorre pela presença insuficiente ou nula de uma enzima chamada lactase e é ela que faz a decomposição/quebra dessa lactose.
Existem muitos médicos e nutricionistas que defendem a ideia de que não necessitamos ingerir mais lactose a partir dos 5 anos de idade devido à baixa produção dessa enzima. Eu defendo a de que podemos sim consumi-la e que a restrição total só deve ser feita quando há sintomas de intolerância como enxaquecas e também alergias (alterações no intestino, pele e sistema respiratório).
Para as pessoas que ainda querem seguir os modismos e serem radicais no consumo de alimentos, sugiro que antes procure um nutricionista para indicar as melhores substituições (uso de leite sem lactose, aumento no consumo de folhas verdes escuras por possuírem mais cálcio, etc.), e também o médico. Importante sempre ficarmos atentos, por exemplo, em casos como de adolescentes que necessitam ingerir maior quantidade de cálcio (presente principalmente em produtos lácteos que contêm lactose), por ainda estarem em fase de crescimento e não terem atingido a maturidade óssea.
Como podem ver, são vários os critérios que devem ser levados em consideração na hora de se fazer uma escolha e o mais importante é lembrarmos que temos que cuidar bastante do nosso corpo, pois este é o bem mais precioso que temos.

Abraços,
Fernanda Fittipaldi.

Leave a Reply


4 − = três