Sal, Sal Light, Sal Marinho e Sal sem Sódio….quais são as diferenças?

O conhecido Sal de cozinha que usamos todos os dias é composto de 99% de cloreto de sódio e tem grande importância no funcionamento do nosso organismo. O sódio é importante para a transmissão dos impulsos nervosos, na contração muscular, troca de água entre as células, regulação do volume de plasma sanguíneo, entre outras funções.

Portanto, ele é extremamente importante que seja consumido todos os dias, mas, o problema começa quando passa a ser exagerado. A recomendação da OMS é de que o consumo de sódio não ultrapasse 2g/dia, o que equivale a menos que 5g de sal/dia, um pouco menos que 1 colher rasa de chá.

O excesso diário pode levar à hipertensão (aumento da pressão arterial), doenças cardiovasculares, osteoporose, cálculos renais, entre outros. Por isso é importante conhecer as substituições que podem ser feitas no dia a dia para seguir uma alimentação mais saudável.

Sal Refinado: Passa por um processo industrial com a utilização de substâncias químicas para ficar mais solto e branco e acaba perdendo a maioria dos minerais;

sal refinado

Sal Light: Possui 50% de cloreto de sódio e o restante de cloreto de potássio. Possui um sabor mais suave, mas mesmo assim, deve ser usado na mesma proporção que o sal comum, para isso, procure orientação de um nutricionista. É recomendado para pessoas com hipertensão, porém, as com problemas renais devem ter cautela, devido à presença de potássio;

sal light

Sal Marinho: É seco naturalmente ao Sol e possui diversos componentes minerais, inclusive o iodo, por não ter passado pelo processo de refinamento. Porém, não deixa de ser sal e também deve ter o consumo controlado pelos hipertensos;

sal marinho

Sal sem Sódio: Esse é o que mais tem sido comentado no momento. Isso por que a ANVISA fez a liberação da venda desse produto aqui no Brasil (já bem conhecido no exterior). Apresenta o sabor bem próximo ao do sal comum, não deve ser submetido a temperaturas superiores a 180 graus, não possui sódio, mas ainda possui potássio, portanto, pacientes renais devem procurar o médico e/ou nutricionista para avaliar seu consumo.

sem sodio

O que podemos ver é que alternativas existem sim, mas também é importante estar atento ao que se escolhe colocar no prato durante as refeições. Muitos alimentos já possuem muito sódio e muitas vezes não estamos cientes, como nas carnes embutidas, nos enlatados, queijos, salgadinhos, temperos prontos, sopas desidratadas, etc. Ler o rótulo é imprescindível sempre!

Apostem mais nos temperos naturais como alecrim, orégano, tomilho, manjericão, alho, cebola que também realçam o sabor dos alimentos e são muito saudáveis!

Grande beijo,

Fê Fittipaldi.

Leave a Reply


6 + quatro =